A semana: entreguismo, vassalagem, previdência e prisão de Temer

O caótico cenário da política brasileira e as consequências para o país repercutiram em entrevistas, palestras e comentários nas redes de Ciro Gomes.

Entre os assuntos mais importantes, logo no início da semana, o descalabro da política privatista do governo Bolsonaro levou a entrega de aeroportos do país para os estrangeiros e, como destacou Ciro, a preço de banana e para ESTATAIS de outros países. Ou seja, o Brasil está na contramão das práticas internacionais e, desse modo, não apenas perde seu patrimônio, como aumenta cada vez mais seu passivo em dólares, que só aumentarão a dívida pública.

twitter ciro

Chamou atenção do mundo todo o comportamento subserviente de Jair Bolsonaro em sua primeira visita oficial aos Estados Unidos e seu encontro com o presidente Donald Trump. Ciro compartilhou a referência Shame, do Washington Post, sobre a repercussão embaraçosa no twitter e lembrou que vassalagem não nos custa apenas vergonha, mas também a prejuízos econômicos que terão longa duração, como se destaca no texto do professor Nelson Marconi, repercutido por Ciro no facebook.

Nas entrevistas dessa semana, Ciro criticou também a reforma da previdência que está sendo proposta pelo governo Bolsonaro, citando disparidades absurdas como a que estabelece o mesmo tempo de contribuição para trabalhadores com realidades muito distintas, como a do trabalhador de escritório e o trabalhador rural do semi-árido. E as normas que estabelecem 40 anos de trabalho para atividades como as de policial e professor enquanto os privilégios das grandes aposentadorias de alguns setores do funcionalismo público permanecem intocadas.

Assunto que repercutiu muito também nos últimos dias foi a prisão do ex-presidente Michel Temer pela Lava Jato do Rio de Janeiro. Brincando com a fama de “vidente” da política brasileira, Ciro publicou em suas redes sociais um trecho da sua sabatina no Correio Brasiliense em junho de 2018, onde vaticinava a prisão de Temer. Entretanto, Ciro criticou a forma como a prisão foi feita, sem embasamento constitucional: “Isto dito, minha consciência de cidadão e minha formação jurídica me obrigam a afirmar: esta prisão, da forma como foi feita não se sustenta. Afronta o melhor direito, fere a constituição.” Esses e outros abusos jurídicos, independente a quem atinja, são constantmente criticados por Ciro pois, em seu aspecto mais geral, sempre atuam na fragilização das instuições do país.

Entre os eventos públicos, Ciro participou de uma mesa redonda sobre política no Foro Brasil España, em Madri, no último dia 22 de março. Foi veiculado também uma entrevista de Ciro dada à revista Época, também sobre os acontecimentos da semana.

Se liga:
26/06: Ciro Gomes – Aula-debate “Brasil, desafios e soluções”
Local e horário: 18h no auditório da Faculdade de Direito – Universidade de Lisboa (Portugal)*

*Transmissão pela página oficial de Ciro no facebook

 

Deixe uma resposta

3 × cinco =