Em território Global, Ciro Gomes demonstra preparo e conduz entrevista

Ciro Gomes foi o entrevistado na edição desta quarta-feira (01/08) no programa Central das Eleições da Globo News, um dos programas do canal pago do grupo Globo para a cobertura e produção de informação política sobre as eleições do Brasil neste ano.

O programa ao vivo com 2 horas de duração reuniu nove jornalistas do canal como entrevistadores de Ciro Gomes, num fluxo de perguntas e mediação de falas que se assemelhou aos tempos antigos do programa Roda Viva, com sobreposição de falas, espaço também para explicações mais prolongadas do entrevistado e duros questionamentos.

Como esperado pelos telespectadores acostumados ao modus operandi do jornalismo global, o primeiro bloco do programa foi quase inteiramente dedicado a tratar de Lula e dos movimentos partidários pré-eleitorais por parte do PT, do PSB e de Ciro Gomes em diálogo com outros partidos, como os partidos do chamado “centrão” e o PCdoB.

Sobre tais temas, é bom lembrar que há tempos Ciro realiza suas conversas sobre alianças políticas à luz do dia e delas tem falado abertamente. Ao contrário de políticos que se recusam a comentar seus diálogos por alianças, essa franqueza de Ciro sobre o assunto e sua posição sobre o PT foram mais uma vez vistas, com a entrevista desta quarta-feira, e ajudaram a sedimentar um caminho coeso para ele nesse momento de definição de candidaturas.

Para tentar construir na entrevista momentos que pudessem desgastar e mostrar uma possível incoerência do candidato, o programa resgatou ainda um antigo vídeo de Ciro Gomes em debate com manifestantes e uma antiga frase atribuída a ele sobre Michel Temer.

Contudo, a construção forçada pelo programa não chegou na audiência com o resultado esperado pelo grupo Globo. As colocações de Ciro demonstraram seu percurso político de coerência com várias falas públicas nas quais criticava e denunciava o atual presidente Michel Temer, já nos últimos anos. Sobre o assunto “temperamento”, Ciro pondera com uma autocrítica sobre sua personalidade, sem recuar, no entanto, em sua indignação como energia motriz que lhe ajuda a enfrentar a gravidade do momento brasileiro com coragem.

Sem o resultado negativo que esperavam ter com tais com “balas de prata” arquitetadas contra Ciro Gomes, restou aos jornalistas do grupo Globo, nos momentos restantes da entrevista, perguntarem ao candidato trabalhista sobre suas propostas para o Brasil, suas experiências anteriores e suas opiniões em áreas como economia, educação, tratamento das reforma (fiscal, tributária).

Quanto a isso, as respostas de Ciro combinaram a relevância de seu projeto de país com sua habilidade e preparo para sair mais vivo do que nunca de situações nas quais esperava entrar como “cabra marcado para morrer”.

 

Lista de comentários

  • LUIZ PINHEIRO BARBOSA NETO 02 / 08 / 2018 Reply

    Muito bem, nota 9.5. Apenas, acho que não deve falar em impostos sobre herança, e se porventura falar, expor a alíquota máxima de 12%. E, no que toca a quebra de sigilo bancário de quem ganha acima de 30 mil, não concordo e não passa no Congresso Nacional. No mais, colocou estes pseudos-jornalistas no bolso, principalmente a mediadora. Vamos em frente Ciro, sua coligação maior é com o Povo.

  • Nilson Nobuaki Yamauti 02 / 08 / 2018 Reply

    Dos candidatos progressistas, é o único que tem um programa econômico consistente para o Brasil num momento muito perigoso, de crise grave. Espero que os eleitores não cometam o mesmo erro de 1990, votando num novo Collor.

Deixe uma resposta

5 − 3 =