O que não vimos na entrevista de Bruno Mazzeo

Na quarta-feira, 23/10/2019, o ator e roteirista Bruno Mazzeo foi entrevistado no programa da TV Cultura, Provocações. Ao ser questionado sobre seu posicionamento na atual divisão política do país, o ator revelou algo novo: seu apoio a um político específico. O trecho da entrevista não foi ao ar, sendo disponibilizado apenas no Instagram da TV Cultura. Ele disse:

 

“É a primeira vez até que eu estou falando que eu votei no Ciro, votei três vezes nele já pra presidente. E eu não gosto muito de ficar defendendo um nome ou outro, em primeiro lugar por não acreditar nos heróis, é? E também porque eu acho que isso pode diminuir um pouco o olhar sobre a minha crítica”.

 


 

Mas o que a postura de Bruno Mazzeo, roteirista do programa Filhos da Pátria e humorista político, revela sobre o apoio a Ciro Gomes? O que deixamos de ver de mais amplo? Da fala do ator, depreendemos uma tendência mais geral.

O apoio dos simpatizantes do ex-governador do Ceará não se dá devido a um messianismo, culto à personalidade ou idolatria cega. Naturalmente há exceções, mas frequentemente os eleitores de Ciro estão em busca de uma solução inteligente, factível e estrutural para o Brasil. A síntese máxima dessa procura se traduzem em três palavras, ditas por Ciro à exaustão: Projeto Nacional de Desenvolvimento.

A crença em um projeto para melhorar a vida da classe trabalhadora e da classe média é o que protege os simpatizantes de Ciro de “acreditar em heróis”. Como continua Mazzeo:

“Eu acho que não há esse olhar sobre ele (Ciro), ninguém vê ele assim como um herói. Eu o vejo como um grande político”.

É exatamente isso que percebemos como necessário para o país: não um herói, não um mito, ou messias. Um grande político, com um grande projeto, para transformar profundamente as desigualdades do Brasil.

 
Vídeo Completo:

Deixe uma resposta

oito − 2 =