A política neoliberal e o seu serviço ao capital estrangeiro

A fábrica de péssimas ideias da equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes não para de produzir. A novidade especulada da vez é voltar a entregar o país para instituições financeiras internacionais.

De acordo com o jornal O Globo, a equipe neoliberal do Chicago Boy Paulo Guedes estuda pedir 4 bilhões de dólares emprestados a instituições financeiras do estrangeiro. A razão seria a falta de dinheiro para o pagamento da renda básica emergencial, do seguro-desemprego e do Bolsa Família.

Desculpa esfarrapada, logicamente. Ciro Gomes explica neste vídeo publicado ainda em março no seu canal no Youtube que o caixa do Tesouro conta com verba sobrando para pagar tudo isso. E ainda sobra! O valor disponível ultrapassa a casa do trilhão de reais.

Todas as providências, tanto no Congresso Nacional como no Supremo Tribunal Federal, já foram tomadas, a despeito da falta de ação do Governo Federal , para liberar a verba.

Além do mais, se não fosse o caso de ter essa verba disponível no Tesouro, o Brasil ainda tem a opção de emitir dívida em moeda própria e convive hoje com a menor taxa de juros da sua história (mesmo ainda sendo uma das maiores taxas reais do mundo).

O financiamento previsto pelo ministério de Paulo Guedes prevê uma taxa de câmbio de 1 dólar=R$ 5,23. “Se eu fizer muita besteira, dólar pode ir a R$ 5”, disse Paulo Guedes, em meados de março. Recentemente, a cotação quase bate os R$ 6 e está constantemente acima dos R$ 5 há mais de dois meses.

Fica então o questionamento: quem está ganhando com isso?

É como diz Ciro Gomes: vivemos em um país sangrado.