A “medida de Sobral”: Ciro Gomes é o líder da oposição

Em debate no DuploExpresso (em 17/03/2020), o economista e professor catarinense Nildo Ouriques, comentava a entrevista de Ciro Gomes no Roda Viva e como o ex-ministro se apresenta como líder da oposição no cenário político atual.

Para Nildo, Ciro age em três frentes que afirmam essa liderança e seu potencial para 2020:
1) Ataca frontamente Bolsonaro e o mostra o irracionalismo do ultra-liberalismo.
2) Descarta completamente pela sua atuação e pela crítica direta o petismo e Lula como alternativas.
3) Expõe as ambiguidades desconcertantes do lulo-petismo em seus governos.

Para Nildo, o lugar de liderança da oposição de esquerda já está ocupado por Ciro Gomes. Nas palavras do economista, tanto pelo petismo não apresentar nenhuma figura desta envergadura quanto pela sacada de Ciro de que não há espaço para “lenga lenga” e de que é preciso um novo “radicalismo político”. A forma com que Ciro vem construindo esse novo radicalismo é chamado por Nildo de “medida de Sobral”, em referência ao berço político do cearense. De acordo com Nildo: “Ele [Ciro] turbina e vai sintonizando a “medida de Sobral”. Ele vai sintonizando a “medida de Sobral” e vai ser a grande figura das eleições presidencias no terreno da esquerda.”

Ouriques, quadro político filiado ao PSOL, lembra que Ciro sequer é seu candidato e que não concorda com o projeto nacional-desenvolvimentista do PDT, mas que não se pode brigar com fatos. Neste trecho, Nildo conclui sua análise contrastando Ciro com outras figuras do campo da centro-esquerda, petistas em especial. Para ele, Haddad é um “liberal do INSPER” sem qualquer força política e Lula é “carta fora do baralho” que não terá condições de participar novamente de eleições.