Jair Messias Bolsonaro: O deputado mais caro do Brasil?

Algumas semanas a Todos Com Ciro publicou uma comparação de parte dos gastos de Ciro Gomes e Jair Bolsonaro durante 21 meses que ambos atuaram ao mesmo tempo na Câmara dos Deputados. A diferença entre os valores analisados já havia sido gritante e agora aprofunda-se ainda mais. Em alguns casos, os gastos de Jair superam em até 21 vezes os de Ciro e chegam às centenas de milhares de reais em áreas que o pedetista não colocou sequer um real de dinheiro público.

Agora temos em mãos muito mais informações a respeito dos gastos de Jair Bolsonaro no seu período como deputado federal e vamos expor um pouco disso aqui para vocês ajudarem as pessoas a verem que na grande maioria das vezes a imoralidade – para dizer o mínimo – se transveste do discurso moralista.

Nesse primeiro texto vamos nos concentrar em uma comparação entre os gastos da cota parlamentar de Ciro Gomes e Jair Bolsonaro quando deputados, durante toda a legislatura, entre fevereiro de 2007 e janeiro de 2011, período em que ambos eram deputados federais.

Vale a pena ressaltar, como já falamos no texto anterior, que essa análise não tem como objetivo desmoralizar a utilização dos valores disponibilizados aos parlamentares através da cota parlamentar. Acreditamos na importância da utilização de recursos para os parlamentares em todas as suas possibilidades. O que queremos fazer com essa análise é desmascarar o moralismo vomitado pelo presidente da República, que serve apenas para esconder o seu verdadeiro histórico de malversação dos recursos públicos. É o que mostram os dados.

Primeiro, queremos apresentar uma distribuição dos gastos da cota parlamentar nas suas seis principais categorias: escritório de apoio, combustível, divulgação de atividade parlamentar, serviços postais e trabalhos técnicos.

O gráfico assusta? Pois é isso mesmo. O então deputado Jair Bolsonaro gastou 21 vezes mais em papelaria e 15 vezes mais em serviços postais. Bolsonaro também gastou R$ 317 mil em divulgação da atividade parlamentar, enquanto Ciro não gastou nada nessa categoria.

Quando pegamos estes dados para olhar de perto, chama a atenção os gastos de Jair Bolsonaro com combustível. Era relativamente comum Jair Bolsonaro solicitar reembolso de notas fiscais de combustível de alguns milhares de reais. Isso há mais de 10 anos, quando a gasolina ainda não batia R$ 3 por litro.

Apresentamos abaixo, por exemplo, o acumulado dos 15 reembolsos de combustível com valores mais altos solicitados por cada um dos dois parlamentares entre os anos de 2007 e 2009. Os valores abaixo passaram por atualização monetária para maio/2020

É difícil entender de fato como alguém pode solicitar reembolso de abastecimento de automóvel com valores tão altos assim. Talvez se ele estivesse abastecendo um avião faria sentido. De qualquer forma, talvez ele tenha uma justificativa pra isso.

Quando olhamos mais a fundo todos os gastos de combustível dos dois deputados, apenas entre 2007 e 2009, observamos outra curiosidade: a solicitação de reembolso média de Ciro Gomes foi de R$ 82,27 e a solicitação de reembolso média de Jair Bolsonaro foi de R$ 932,81.

É verdade que o Ciro fez mais solicitações de reembolso no período analisado (170 contra 54 de Jair Bolsonaro). Talvez porque o Ciro não esperasse o tanque do carro chegar na reserva para abastecer o carro? Isso explicaria abastecimentos mais baratos. Mas a diferença ainda não poderia ser tão gritante. O que explicaria um valor médio de R$ 932,00 para cada abastecimento?

E não somos só nós que estamos de olho nisso. A Agência Sportlight fez um extenso material sobre os gastos de Jair em combustíveis, que você pode ver nos links externos abaixo:

Em 07/04/2020 – EXCLUSIVO: Notas fiscais revelam superfaturamento do deputado Jair Bolsonaro em reembolsos da verba de combustível

Em 07/04/2020 – As notas fiscais dos reembolsos superfaturados de Jair Bolsonaro

Em 01/05/2020 – Exclusivo: Bolsonaro bateu recorde em nota fiscal de gasolina um mês após eleição de 2006 e teve reembolso parlamentar negado

O material suscitou uma denúncia crime contra o presidente, que foi encaminhada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux para a Procuradoria Geral da República avaliar. Saiba mais aqui!

Não analisamos ainda os anos anteriores a 2007, os detalhes dos gastos de material de escritório e os assustadores gastos em divulgação e em serviços postais, o que traremos nos próximos textos. Mas vale adicionar um outro comentário sobre os gastos com trabalhos técnicos e relatórios.

Depois de ver a explosão dos gastos de Bolsonaro em diversos itens ao longo do seu mandado, vimos que ele nunca gastou UM CENTAVO com trabalhos técnicos e relatórios. Isso explica muita coisa sobre o seu comportamento desorientado e desinformativo, afinal de contas, ele nunca buscou estudos e relatórios técnicos sobre assunto nenhum para basear sua atuação na Câmara por anos e anos.

Abaixo apresentamos o crescimento dos gastos dos dois parlamentares ao longo de todo o período deste mandato com os valores corrigidos para maio de 2020. Bolsonaro gastou neste período 213% do que gastou Ciro considerando todas as categorias apresentadas. Quase R$ 1 milhão apenas em 48 meses. Mas vale lembrar que Jair foi deputado por 336 meses.

Se você chegou até aqui a gente gostaria de informar que a Plataforma TodosComCiro aceita doações através do nosso próprio site. Se você gosta do trabalho que fazemos por favor contribua com qualquer valor, isso ajudará a gente a seguir trabalhando na divulgação de informações e na organização política em defesa de Projeto Nacional de Desenvolvimento trabalhista.

CLIQUE AQUI PARA CONTRIBUIR COM A TODOSCOMCIRO