PDT pediu impeachment de Bolsonaro em abril!

Em entrevista ao Correio Brasiliense no dia 16 de junho, Fernando Haddad disse que o Partido dos Trabalhadores está pedindo abertura de um processo de impeachment para que a Câmara dos Deputados inicie o julgamento do presidente. Essa parte da notícia é verdadeira. O PT entrou com pedido de impeachment em 15 de maio de 2020. Mas como quase toda construção de fake news: junto de uma verdade vem uma mentira.

Ele prossegue dizendo que “lamentavelmente o PDT se colocou contra esse entendimento de que esses assuntos deveriam ser tratados pela câmara dos deputados”, dando a entender que o PDT seria contra o impeachment. Ora, o PDT entrou com pedido de impeachment em 22 de abril. Aproximadamente três semanas antes do Partido dos Trabalhadores. Naquela altura, o PT nada falava sobre impeachment do presidente da república.

A fim de pautar sua narrativa distorcida, Haddad repete várias vezes em associação “o PSDB e o PDT”, como foi feito nos últimos dias por “blogs parceiros” do partido do ex-prefeito, para implicar ao PDT ao posicionamento de um partido de centro-direita.

No entanto, a verdade dos fatos, que podemos facilmente ver pelas datas dos pedidos de impeachment protocolados pelos dois partidos, é evidente. Perdendo o bonde da história, a liderança e o respeito como oposição ao governo, parece que restou a Haddad apenas tais subterfúgios desonestos. Mas que, se depender da atenção da “turma boa”, nada mais vai conseguir que animar sua própria claque.

Confira o vídeo:

A repercussão da entrevista de Haddad causou a reação de Ciro Gomes, signatário do pedido de impeachment apresentado pelo PDT em abril. Em seu facebook, ao lembrar da ação “Janelas pela Democracia”, protestos que desde o início de maio une diversos partidos (PDT, PSB, Rede, PV e Cidadania) e que pede a cassação de Bolsonaro, Ciro acusou diretamente Fernando Haddad de estar mentindo:
Facebook Ciro Gomes Haddad