Gabriela Prioli e o reforço da desinformação

Todos sabem da importância de combater a desinformação e a informação falsa no dia a dia. Diversas agências se dedicam à pesquisa para investigar se informações são falsas ou verdadeiras. Naturalmente, esse esforço não é suficiente para conseguir investigar todas as notícias que surgem por aí. 

Nós, aqui na TodosComCiro, desde 2017 fazemos um trabalho de checagem das desinformações e informações falsas relativas à Ciro Gomes. E temos sido bem sucedidos nesse esforço. Em função dos textos que publicamos, veículos da grande imprensa já emitiram erratas e editaram textos publicados em seus sites.

No entanto, a desinformação nem sempre é tão clara. E é sobre essa zona turva que queremos falar neste texto.

Em 06 de abril, a apresentadora Gabriela Prioli publicou um vídeo no seu canal do YouTube comentando sobre a tal da “frente ampla”. O vídeo tem duração de 13 minutos e, originalmente, continha duas informações falsas sobre Ciro Gomes.

Informação falsa 01 – Ciro Gomes foi para Paris na eleição e não votou.

Essa parte já foi removida e teve uma errata publicada na descrição do próprio vídeo. A alteração foi feita quando o vídeo já tinha algumas dezenas de milhares de visualizações. Mas tudo bem. 

Informação falsa 02 – Ciro Gomes teve a chance de fazer oposição a Bolsonaro e não fez.

No entanto, mesmo depois de remover o trecho 01, o vídeo seguiu com um problema grave. Entre 03:27 e 03:45, Gabriela afirma no vídeo que:

“O ex-presidente Lula embora faça parte do campo democrático não foi convidado para assinar essa carta, o que deixou muita gente bastante irritada. O próprio presidente Lula em entrevista recente para o jornalista Reinaldo Azevedo, ressaltou que essas pessoas que assinaram a carta tiveram uma excelente chance de lutar pela democracia em 2018. Sim, foi um shade. O que ele quis dizer, é que eles poderiam ter votado na candidatura de oposição ao presidente Jair Bolsonaro, no caso, a candidatura do Fernando Haddad. E não fizeram.” 

Como assim não fizeram? Ciro não fez oposição ao Jair Bolsonaro nas eleições de 2018? Que pena. Ela caiu na lorota.

A gente decidiu marcar ela no Twitter para deixá-la ciente do erro cometido. Ela até nos respondeu. Disse que já havia feito uma correção no vídeo removendo a informação falsa 01, mas que esse segundo trecho era na verdade uma referência à fala de terceiros. No caso, do presidente Lula.

Ahn? Pera aí.

Por um lado tá certo que ela estava se referindo a fala do presidente do Lula. Mas a partir do momento que ela fala “O que ele quis dizer, é que“, começa a interpretação dela. Não era mais uma citação.

Gabriela afirmou que o Lula quis dizer que Ciro pôde fazer oposição à Bolsonaro, mas não fez. Na verdade, o Lula tinha até dito que o Ciro foi para Paris em vez de votar, como ela mesmo falou e depois removeu o trecho 01. Então, se ela realmente estivesse fazendo referência a uma fala do Lula, não precisava ter removido a informação falsa 01 mencionada acima. 

De qualquer forma, o que importa aqui, é que Gabriela Prioli é uma comunicadora muito relevante no cenário nacional. E uma voz importante na defesa do campo democrático. Ela mesmo já foi vítima de diversos ataques do gabinete do ódio e da mentira. Isso a coloca em posição de destaque, e não é razoável que ela reforce desinformações e mentiras. Por mais que elas tenham saído da boca de um ex-presidente da república. Elas precisam ser sempre corrigidas!

Lula mentiu dizendo que Ciro não votou em Haddad. Gabriela interpretou que ele havia ido para Paris nas eleições e que não fez oposição. Mas removeu apenas a primeira parte da mentira. Falta o resto.

Quando marcamos a Gabriela no Twitter 43 mil pessoas haviam assistido o vídeo. Agora são 85 mil pessoas. É assim que a desinformação vai crescendo. E a única forma de reduzir o dano é divulgando a correção amplamente.

Respeitamos o trabalho de Gabriela e o jornalismo como um todo. Mas precisamos construir, de forma conjunta, o senso de responsabilidade e de cuidado. Muitas vezes a desinformação se espalha por descuido e não por maldade. Não foi Gabriela que criou a desinformação. Mas é importante que ela restabeleça essa verdade.