Ciro Gomes e os democratas vs. Bolsonaro e o autoritarismo

Em matéria publicada na última semana pelo Estadão e repercutida por diversos veículos de imprensa nacional, foi divulgado que a Polícia Federal está investigando Ciro Gomes, um dos principais nomes da oposição a Jair Bolsonaro dentro do campo democrático.

De acordo com o jornal, o pedido de abertura de inquérito foi assinado pelo próprio presidente da República, que se sentiu ofendido por ter sido chamado de ladrão por Ciro Gomes. O inquérito se refere a uma entrevista de Ciro Gomes à Rádio Tupinambá, de Sobral, em novembro do ano passado.

Antes de qualquer coisa, é importante ressaltar que Ciro está incomodando. Se uma entrevista dada pelo ex-ministro à uma rádio do interior do Ceará fez o presidente da República assinar um inquérito de próprio punho, é porque estão atentos e desconfortáveis com os movimentos de Ciro Gomes.

Além disso, vale ressaltar que Bolsonaro tem muita coisa pra explicar. Nós mesmos já publicamos aqui no nosso site duas matérias em que, a partir de dados do Portal da Transparência da Câmara dos Deputados, mostramos a dimensão dos gastos utilizados pelo então deputado Jair Bolsonaro, durante uma fração do seu mandato.

Você pode conferir estes textos nos links Abaixo:

1. Ciro Gomes vs. Jair Bolsonaro – Cota parlamentar e falso moralismo

2. Jair Messias Bolsonaro: O deputado mais caro do Brasil?

Ciro Gomes: o homem que pode quebrar a polarização

Essa preocupação de Bolsonaro com Ciro Gomes não é à toa. Ciro é hoje o principal nome com um real potencial de quebrar a polarização entre Lula e Bolsonaro. E por isso foi mencionado por Lula no discurso da semana retrasada e agora está sendo perseguido pela Polícia Federal por “crime contra a honra” de Jair Bolsonaro. Ora, o mesmo Jair Bolsonaro que dizia que Dilma deveria morrer de câncer, xingava jornalistas e políticos, agora, quando é chamado de ladrão, abre inquérito na Polícia Federal.

Ao forçar a Polícia Federal a um comportamento persecutório e autoritário, Bolsonaro continua sua jornada de enfraquecimento das instituições democráticas e de cooptação autoritária do estado brasileiro.

Não foi a primeira vez que esse movimento persecutório foi realizado pelo presidente da república. O presidente já utilizou a lei de segurança nacional para perseguir um jornalista, um cartunista, o YouTuber Felipe Neto e inclusive cidadãos comuns que têm se manifestado em oposição à falta de gestão na pandemia e aos indícios de corrupção da família Bolsonaro. Essa última ação de Bolsonaro, no entanto, reforça as vontades autoritárias de Jair Bolsonaro e reconhece Ciro Gomes como um de seus principais e mais “perigosos” opositores.

O autoritarismo de Bolsonaro levou diversos políticos, jornalistas, artistas e outras lideranças a se manifestarem em apoio e solidariedade a Ciro Gomes.

Entenda o que aconteceu e assista a entrevista que levou ao inquérito

O Canal Meteoro BR inclusive fez um baita vídeo falando sobre o assunto, mostrando a entrevista que o Ciro concedeu à Rádio Tupinambá em novembro do ano passado. Vale a pena assistir:

A resposta de Ciro

Através das suas redes sociais, em resposta à ofensiva autoritária de Jair Bolsonaro, Ciro respondeu:

“Particularmente não ligo para esse ato contra mim, mas considero grave a tentativa de Bolsonaro de intimidar opositores e adversários. Entendo que é um ato de desespero de quem vê sua imagem se deteriorar todos os dias pela gestão criminosa do Brasil na pandemia.

Bolsonaro está condenando nosso povo à morte. E vamos seguir lutando para salvar vidas e contra sua política genocida! Agradeço às milhares de mensagens de solidariedade! Como diz meu amigo @felipeneto, também vítima dessa arbitrariedade,#CalaBocaJaMorreu”

Os apoios a Ciro Gomes

No dia do ataque de Jair Bolsonaro, a hashtag #CiroContraBolsonaro chegou aos trending topics do Twitter,  somando mais de 20 mil menções. Naturalmente seria impossível reunirmos todos os apoios que Ciro recebeu dos seus militantes e apoiadores por todo o país. Reunimos aqui uma lista dos apoios que Ciro recebeu a partir de perfis verificados. A lista não está completa. Destacamos apenas alguns apoios. Mas, se você quiser conferir todos os apoios que reunimos, é só  você conferir o fio completo no nosso Twitter.

Os apoios passam por jornalistas, professores, influenciadores, artistas, e políticos de diversos partidos políticos como PSL, DEM, REDE, PSB, PSDB, Cidadania, PMDB, PDT, PSOL, PCdoB e PT.

Políticos

Rodrigo Maia (DEM)

Marina Silva (REDE)

Randolfe Rodrigues (REDE)

Professora Dayane (PSL)

Cristovam Buarque (Cidadania)

Alexandre Frota (PSDB)

Roberto Requião (PMDB)

Juliano Medeiros (PSOL)

Guilherme Boulos (PSOL)

Marcelo Freixo (PSOL)

Carlos Siqueira (PSB)

Beto Albuquerque (PSB)

Alessandro Molon (PSB)

Flavio Dino (PCdoB)

Manuela DAvila (PCdoB)

Orlando Silva (PCdoB)

Perpétua Almeida (PCdoB)

Camilo Santana (PT)

Leonel Radde (PT)

Eduardo Suplicy (PT)

Carlos Lupi (PDT)

André Figueiredo (PDT)

Leonidas Cristino (PDT)

Roberto Cláudio (PDT)

Wolney Queiroz (PDT)

Chico D’Angelo (PDT)

Pompeo de Mattos (PDT)

Isabella de Roldão (PDT)

Rodrigo Neves (PDT)

Tulio Gadelha (PDT)

Antonio Neto (PDT)

Weverton Rocha (PDT)

Goura Nataraj (PDT)

Jornalistas e comunicadores

Glenn Greenwald

Celso Rocha de Barros

Mariliz Pereira

Henrique Araujo

JP Cuenca

Fernando Risch

Xico Sá

Laerte Coutinho

Pedro Doria

Guilherme Amado

Bernardo Mello Franco

Reinaldo Azevedo

Mauricio Savarese

Influenciadores, artistas e pensadores

Emerson Pataxó

Tico Santa Cruz

Monica de Bolle

Joanna Maranhão

Oliver Stuenkel

Thiago Amparo

Daniel Cara

Mauricio Meirelles

Henry Bugalho

Rafael Sardão

Deixe uma resposta

3 × 2 =