#CiroNaPeriferia: o Brasil diante do espelho

Nesta quinta-feira (9), Ciro Gomes (PDT) lançou mais uma série de vídeos voltada a olhar, discutir e buscar soluções para o país. Reunidas através da #CiroNaPeriferia, as peças audiovisuais buscarão apresentar a realidade do Brasil profundo. “As estatísticas que mostram um país em crise não traduzem todo o sofrimento de quem enfrenta pandemia, desemprego, inflação e o abandono do governo”, disse o pedetista ao publicar o primeiro vídeo. A nova série de Ciro Gomes pretende colocar o Brasil diante do espelho e nos convidar a olhar para nós mesmos.

Um Brasil de carne e osso

Com 4 minutos e 42 segundos, o  programa que abre a série dá voz a Célia da Silva. Moradora do Jardim Apurá, zona sul de São Paulo, Célia conta as dificuldades enfrentadas durante o aprofundamento da crise brasileira. “Eu trabalhava de diarista, provavelmente três, quatro vezes na semana, agora trabalho só uma vez”.

Ao iniciar sua fala relatando a dificuldade para encontrar trabalho, Célia ecoa o sentimento da maioria dos(as) brasileiros(as). Segundo a pesquisa da Genial, divulgada em 1º de setembro pelo Instituto Quaest Pesquisa e Consultoria, a questão econômica (que envolve economia, inflação e desemprego) está, pela primeira vez, no topo das preocupações da população.

Com 14,4 milhões de desempregados e 19 milhões de famintos (conforme dados do IBGE) e com cerca de 130 milhões de pessoas em insegurança alimentar (UnB/Ipol), o Brasil sufoca sob a política neoliberal e negacionista do governo federal. Nem mesmo as farsescas promessas de “crescimento em V” do midiático ministro da Economia, Paulo Guedes, têm amenizado o impacto da inflação e o aumento de 22% da cesta básica em 12 meses (dados do Dieese).

“Eu acho que foi uma injustiça que fizeram nesse vírus que teve aí. Em vez das coisas terem baixado para o pessoal comer mais, aumentou. Quem estava doente ficou mais doente ainda e preocupado. Sem saber o que fazia da vida”, afirmou Célia.

Refletir o povo para refletir sobre o Brasil

Milhões de brasileiros(as) sentem diariamente na pele as medidas nefastas do atual governo e os efeitos do modelo econômico que, há décadas, paralisa o país. A alta dos alimentos, do gás e da energia elétrica atinge a parcela mais vulnerável da população, dando contornos trágicos à crise. Em sua conversa com Ciro, Célia conta que um dia de trabalho é apenas para pagar o gás, cujo aumento foi de 66% nos últimos dois anos. “Muita gente nessa pandemia passou fome. É difícil. No mercado, as coisas estão tudo caras, né? Compra, compra mesmo, ninguém faz mais”.

Ao amplificar a voz de Célia, Ciro coloca o Brasil diante de si. As histórias por trás dos números expõem o verdadeiro impacto da política na vida das pessoas. Ao que parece, #CiroNaPeriferia será uma grande oportunidade para voltarmos a nos olhar nos olhos, um convite para ficarmos diante do espelho, para repensarmos sobre os destinos da nação, reconhecermos a grandiosidade do povo que constrói este país e avaliarmos qual imagem queremos ver projetada diante de nós daqui pra frente.

“Eu continuo procurando dar voz a esse Brasil profundo que uma parte do Brasil não conhece. Eu falo em números e as pessoas às vezes não percebem que por trás desses há gente de carne e osso, há dramas pessoais, familiares, muito importantes. Nesse momento, a miséria no Brasil é a mais sofrida de todos os tempos, porque casou um modelo econômico trágico, desastrado, com os efeitos da pandemia e um governo absolutamente incapaz sequer de entender as condições. Por isso, a gente precisa dar voz ao nosso povo para, quem sabe, acabar com a frieza, acabar com a alienação, acabar com a omissão diante desse drama”, disse Ciro ao encerrar o vídeo.

Perdeu o encontro de Célia com Ciro? Não tem problema, o vídeo completo está logo abaixo.