Ciro Gomes ministro da Fazenda: o Plano Real e seus desafios

Hoje, 1º de julho de 2019, o Plano Real completa 25 anos. O Plano, que estabilizou a economia erradicando o grave problema da hiperinflação que atormentava a vida dos brasileiros nas últimas décadas, foi implementado pelo governo do presidente Itamar Franco em 1994 e pensado por economistas ligados ao PSDB (na época, um partido social democrata). O altíssimo risco político do lançamento de uma nova moeda, depois de tantas outras e suas frustrações, foi enfrentado pelo presidente Itamar e também pelo então jovem governador do Ceará, Ciro Gomes.

Ciro, com apenas 36 anos, foi chamado pelo presidente para assumir o Ministério da Fazenda no momento mais crítico do Plano Real, sua estabilização. Lançado em julho, sob a orientação do ministro Rubens Ricupero, o Real enfrentou uma grave turbulência com a necessidade de substituição urgente do ministro Ricupero. A moeda, “recém nascida”, corria o risco, como suas predecessoras, do fracasso, por uma crise política que poderia arrastar uma crise econômica. Nesse contexto, Ciro Gomes aceita, com muito receio, a convocação de Itamar e entre 6 de setembro de 1994 e 1 de janeiro de 1995, quando entrega o cargo ao governo recém eleito, assume a missão, bem-sucedida, de dar sobrevida ao Real e termina o período como o ministro com o maior superávit primário da história.

Na imagem acima é possível ver a assinatura de Ciro, como ministro da Fazenda, na antiga cédula de R$1,00.

Confira histórias dos bastidores do Plano Real nas narrativas de Itamar Franco e Ciro Gomes:

 

 

Deixe uma resposta

4 + catorze =