Ciro Gomes pauta o debate eleitoral e a plataforma de seus adversários

Apesar das tentativas de isolá-lo, Ciro Gomes se afirma justamente a partir daquilo que mais preza: suas ideias. A intenção pregação dos últimos dois anos tem gerado resultados, Ciro chamou atenção para os problemas estruturais do país, como a questão que mais do orçamento público é voltado para despesas financeiras, a estúpida política econômica neo-liberal e seu famoso tripé-macroeconômico em vigor nos últimos 20 anos e o fato do país estar com crescimento estagnado desde 1980 (com média de apenas 2%). Distorções que precisam ser corrigidas para a implementação do Projeto Nacional de Desenvolvimento defendido por Ciro.

Além dessa estruturação de médio e longo prazo para que se possa alcançar o desenvolvimento do país, salta a agenda emergente da população: crescimento econômico e geração de empregos. De forma clara, Ciro propõe o imediato aumento de receitas com a taxação de lucros e dividendos empresariais (que só não é cobrada pelo Brasil e pela Estônia), o aumento da tributação sobre grandes heranças (que hoje são de pífios 4% na média, em contraste com os EUA que é de quase 30%) e a revisão das renúncias fiscais pela União (que hoje custam aos cofres públicos mais de 300 bilhões por ano).

Nesse momento que as coisas começam a ficar mais interessantes no debate eleitoral: Geraldo Alckmin (PSDB), que nunca tinha apontado para tais direções, começou a repetir Ciro nessas propostas e quase a citá-lo literalmente quando, no debate da Band, disse “vou resolver o déficit público em 24 meses”. Sendo que, nos 8 anos de governo do PSDB foram, justamente, quando a alíquota sobre herança foi diminuída, a taxação sobre lucros e dividendos extinta e houve uma significativa explosão da dívida pública (mesmo com aumento de impostos). Compromissos que nunca foram palanque do PSDB passaram a ser repetidos pelo candidato do partido, ainda que sem toda a elaboração e embasamento feito por Ciro.

Essa semana, outro mote de campanha de Ciro, há muito tempo discutido pelo candidato, também viralizou nas redes sociais, quando o candidato pedetista afirmou que ajudaria a tirar o nome dos brasileiros do SPC. Entre dúvidas e memes, Ciro vem aos poucos esclarecendo sua proposta para a questão do endividamento das famílias, pauta de suma importância para a retomada do crescimento econômico. Qual não foi a surpresa quando o PT, parafraseando através de seu candidato a vice, Fernando Haddad, não repetiu as palavras de Ciro. Veja a postagem no Facebook. CLIQUE AQUI!!

Ciro, que tem a proposta séria e estruturada para fazer isso acontecer, está aguardando para lançá-la ao grande público antes que sejam apropriadas como frases vazias por seus adversários.

O mais importante, no entanto, é perceber que aquela nossa frase: “Você torce pelo Brasil? Escute Ciro Gomes!” tem sido legitimada por todo o espectro político brasileiro.
 

Deixe uma resposta

1 × um =