Ciro Gomes hoje no debate entre presidenciáveis CNBB

Hoje acontece mais um debate televisivo entre os candidatos à presidência da república. Depois dos debates na Band, RedeTv e Gazeta, chegou a vez do debate promovido pela CNBB e que será transmitido pela Tv Aparecida e Tv Cultura.

O debate, que acontece a pouco mais de duas semanas da eleição presidencial, tem a presença confirmada de Ciro Gomes. Acompanhe e participe pelas redes sociais com a tag #DebateCNBB a partir de 21H30!

Nas próximas semanas, acontecerão ainda os debates no SBT e na Globo. É importante não apenas assistir, como também convidar amigos e familiares para que conheçam as propostas e vejam o desempenho dos candidatos para que possam decidir melhor.

Quem preferir, pode acompanhar o debate pela página oficial de Ciro Gomes no Facebook.

One Comments

  • Josiel da Silva 20 / 09 / 2018 Reply

    Allan M. Hillani
    12 MOTIVOS PRA VOTAR NO CIRO (SE VOCÊ É DE ESQUERDA)
    1. O Ciro é o candidato mais bem preparado que eu já vi concorrer a um cargo no executivo. Ele tem um verdadeiro plano de governo e as propostas dele sempre tem um “como” bem definido.

    2. O Ciro tem a menor rejeição entre os candidatos e continua sendo o que tem mais chances de vencer o Bulbassauro no segundo turno. As chances de vencer o Bulbassauro também aumentam porque numa campanha do segundo turno, os ataques ao Ciro não vão funcionar: dizer que ele é “esquentado” é piada levando em conta o outro adversário; ele é próximo de Lula suficiente pra atrair o voto petista, mas distante o suficiente pra não conseguir ser incluído no discurso “anti-corrupção”, isso sem falar na retórica que ia trucidar o Bolsonaro com tempo de tv decente.

    3. O Ciro não é uma candidatura tradicional da esquerda. Isso na verdade é bom, porque isso significa que uma presidência dele não vai cooptar os movimentos sociais. Pelo contrário, estes estarão constantemente pressionando o governo de fora. E o Ciro não é uma candidatura de direita, que vai simplesmente reprimir os movimentos, como o PSDB faria. Isso vai impedir que a barbárie seja justificada em nome da governabilidade, coisa que inevitavelmente vai acontecer com o PT. O Haddad já deu a entender que vai indicar, novamente, um liberal na fazenda.

    4. A vice do Ciro, Katia Abreu, com razão inspira desconfiança. Eu particularmente acho ela desprezível. Porém, o que eu tô convencido é que não tem como governar o Brasil sem fazer alianças e não tem como acabar com o agronegócio do dia pra noite. Se isso é um dado (e o PT sabe que é um dado, tanto que sempre compôs com o agronegócio e nunca fez nada para descentralizar o poder dessa bancada), importa o como dessa aliança. E me parece que o Ciro tem isso bem claro. Primeiro, ele quer modernizar o setor industrialmente (o que pode reduzir as condições degradantes no campo — claro que pode gerar desemprego, mas isso é outra questão com outra solução). Segundo, que o desenvolvimento industrial que ele quer implementar no Brasil vai fazer o Brasil deixar de ser um exportador de commodities, o que vai ter impacto direto no poder dos ruralistas sobre o rumo do país. Isso pra não mencionar que a Katia Abreu é o menos pior quadro da bancada ruralista, que ela foi ministra da Dilma (e na época isso era justificável pra maioria das pessoas), que ela foi expulsa do PMDB e da CNA por se opor ao impeachment (uma briga que ela não precisaria entrar), etc.

    5. Ainda sobre alianças, o Ciro tem uma visão pragmática com a qual eu concordo. Não é à toa que ele foi atrás do Centrão antes de eles fecharem a chapa. Ele sabe que vai precisar compor uma base forte pro governo, como o PT sempre fez com o PMDB. Mas a forma com a qual ele lida com isso é diferente do PT: o PT fazia concessões e lamentava (se o Haddad se eleger vai ser a mesma história); o Ciro não Vai fazer concessões, vai fazer um arranjo de alianças amplas que estarão subordinadas ao programa dele. Isso muda tudo.

    6. Paradoxalmente, dentre as viáveis, uma presidência do Ciro parece ser a melhor pra promover uma agenda de igualdade de gênero. Não só ele já disse que metade de seus ministérios serão chefiados por mulheres (como ele já fez no Ceará) como ele, apesar de contra o aborto na esfera pessoal, é favorável ao tratamento do aborto como questão de saúde pública e pode acabar sendo mais permeável a uma demanda popular dessa questão.

    7. O Ciro está fora da polarização insana PT x anti-PT que toma o Brasil há 4 anos. A polarização (obviamente) não é ruim em si mesma, mas ela tem produzido uma dinâmica irracionL de afirmação “identitária” dos dois lados. O problema é que a grande maioria das pessoas não se encaixa em nenhum desses dois lados com convicção, mas está sendo arrastada para um deles em virtude das circunstâncias. Não é à toa que assim como o Haddad cresce nas pesquisas, a rejeição a ele e os votos do Bulbassauro também crescem. PT e protofascismo se retroalimentam, cada qual com seu discurso paranoico. No dia seguinte das eleições com um segundo turno entre Haddad e Bulbassauro, metade da população vai estar insatisfeita. Por mais 4 anos vamos viver um inferno e isso é um problema pra esquerda como um todo, porque vamos permanecer numa postura reativa sem condições de propor nada.

    8. Desmobilizando a polarização e resolvendo alguns problemas básicos do país, essa polarização tende a se arrefecer. Boa parte do anti-petismo não é puro ódio a pobre e minorias, envolve um grau de insatisfação generalizada, desconfiança das instituições, desespero por um salvador da pátria, etc. Essas coisas vão perder vazão com um presidente que não esteja implicado em casos de corrupção e que melhora imediatamente a vida das pessoas. Se a gente tem medo de uma “solução fascista” pra crise brasileira precisamos entender que suas causas não são meramente elitistas.

    9. Isso leva a outro ponto. A gente teve o azar de ser governado por crápulas a maior parte da nossa história. É fácil acreditar que só um governo do PT poderia melhorar a vida das pessoas, distribuir renda, etc., afinal, ele já fez isso uma vez. Mas a verdade é que o PT não seria o único a fazer isso e um governo Ciro faria tanto quanto. Isso também seria bom para desmitologizar a figura do Lula, que não fez água virar vinho, fez simplesmente um governo decente que se preocupava com as pessoas.

    10. O lulismo é irrepetível e a gente não tem como se teletransportar de volta pra 2006 pra fazer “o Brasil feliz de novo”. O Haddad já afirmou que vai manter o tripé macroeconômico neoliberal, está constantemente fazendo concessões ao mercado, etc. Um governo Haddad vai ser mais recuado que o Dilma 2. Vai ser ainda mais predatório e justificar ainda mais bizarrices e vai ficar se construindo em oposição à ameaça fascista (que obviamente vai se fortalecer nesse cenário). Em compensação, a proposta do Ciro de retomar a industrialização e o consumo são medidas viáveis que se adequam ao nosso problema.

    11. Falando em programa e propostas, eu reafirmo que economicamente (e não só, mas principalmente) o programa do Ciro é de longe o mais a esquerda das candidaturas viáveis. Muito mais a esquerda do Haddad. Tão ou mais quanto o Boulos. O Ciro já disse que vai revogar a reforma trabalhista e a PEC do teto. Vai fazer uma nova proposta de reforma da previdência. Vai fazer reforma fiscal. Vai combater as regalias do judiciário. Vai mandar prender chefe do exército que se meter em política (proibido pela Constituição). Nada disso é proposto pelo PT e dizer que o Haddad é a candidatura mais a esquerda não tem nenhum apoio na realidade exceto que seus apoidores são mais de esquerda.

    12. Um governo Ciro tem um tom experimentalista que me fascina. Diferente de mais um governo PT marcado pelo medo, um governo Ciro teria uma infinidade de possibilidades. As propostas do Ciro são muito criativas e inéditas. O programa de refinanciamento de dívidas via bancos públicos pra estimular o consumo e as pequenas empresas; a vinculação da meta de inflação à taxa de desemprego (que nem o FED), a proposta de reforma da previdencia por regime de capitalização, isso sem contar nas invenções democráticas que alguém como Mangabeira Unger poderia produzir no governo. Tudo isso pode dar muito errado ou muito certo, mas o próprio horizonte de expectativas sobre o futuro se altera, o que pra mim é fundamental, nem que seja por 4 anos.

Deixe uma resposta

3 × 2 =