Ciro Gomes se destaca no Fórum da Liberdade; enquanto isso, MBL acusa “tapa”


 
Não é de hoje que alguns grupos tentam promover uma ofensiva pessoal contra Ciro. Em 2 de abril de 2016, o Movimento Endireita Brasil ofereceu R$ 1.000,00 a quem hostilizasse Ciro Gomes, quando o ex-ministro foi visto em um restaurante por um administrador do movimento no Twitter. Na contramão do bom senso, nenhuma manifestação da parte de movimentos intitulados liberais e democratas condenou a atitude contra o ex-governador cearense.

Ontem, no dia 9 de abril de 2018, no Fórum da Liberdade, porém, mais uma tentativa de ofensiva feita por um certo movimento autoreferido como “de direita” e “liberal” foi colocada em ação, quando Ciro Gomes foi acusado pelo youtuber Mamaefalei de “agressão física” sob a alegação de que Ciro teria lhe dado um “pescotapa”.

Antes de irmos direto ao alegado dessa vez, é preciso conhecer o contexto: quem é o garoto em questão e como este se aproximou de Ciro. Trata-se de Arthur, dono do canal “Mamãe Falei” no Youtube e “testa de ferro” do MBL em matéria de pedantismo e aporrinhação de figuras públicas ou manifestantes de esquerda. Por trás do garoto youtuber, está uma figura que constrói sua fama na internet simplesmente antagonizando qualquer figura progressista e se intitulando um “liberal” entendido de economia e política. Por sua postura e comportamento em ambientes de conotação política, como quando tentou conturbar um protesto de municipários contra o prefeito de Porto Alegre por cortes na educação, Arthur já foi até mesmo detido pela Polícia.

Ontem, no dia do evento, Arthur se aproximou de Ciro aparentando ser um eleitor e começou a lhe fazer perguntas que imediatamente despertaram de Ciro a suspeição de que aquele se tratava de um membro de outro campo político que não o da centro-esquerda. De prontidão, depois das perguntas descontextualizadas, o ex-governador tentou se distanciar do youtuber, mas o garoto insistiu em outra pergunta cuja motivação eram também mais frases descontextualizadas de Ciro que tentava polemizar.

Foi nesse momento que Ciro se virou para sair da interação e tocou com uma das mãos a nuca do rapaz e, para recusar as perguntas ofensivas, pediu que ele “deixasse de ser um merda”, distanciando-se. O youtuber “liberal”, então, intensificou o tom e continuou despejando ofensas originadas em boatos que circulam a imagem de Ciro Gomes. Chegou até mesmo a, por exemplo, insinuar que Ciro teria agredido fisicamente a ex-esposa e atualmente eleitora dele, a atriz Patrícia Pillar. Mais uma prova do tipo de baixaria com que esses grupos são capazes de agir para tentar tirar de Ciro uma conduta desfavorável.

Em tom de alarmismo semelhante à polêmica da bolinha de papel, o youtuber e os grupos relacionados a ele se apressaram em divulgar tweets alardeando que “Arthur Mamaefalei” teria sido “agredido” por Ciro. O resultado foi que, enquanto Ciro Gomes se destacava com a melhor apresentação dentre os presidenciáveis presentes no evento nessa noite, os grupos ligados ao youtuber tentavam dar foco a um “pescotapa” ou “tapa”, não poupando recursos de vídeo e áudio para isso.

Não contavam com a repercussão: a internet, porém, vocalmente desconfiou da denúncia e gargalhou com o vitimismo e mau caratismo daquele que tentou se colocar de vítima.

Mais tarde no mesmo dia, um vídeo sobre o incidente foi divulgado e as suspeitas foram confirmadas: mesmo para os que aguardavam uma reação contra as ofensivas desses grupos ligados a Arthur, lamentavelmente, o primeiro pescotapa “presidential” ainda não aconteceu e não passou de um movimento de quem tentava se desvencilhar de mais uma tentativa de tirar o foco das ideias e propostas de Ciro Gomes.

Segundo a jornalista da Zero Hora, Débora Cademartori, Arthur ainda tentou erguer os braços e se desculpar com Ciro pela molecagem, no fim do evento, mas foi ignorado em meio à multidão em torno do pedetista.

CONFIRA abaixo o vídeo que explica a edição feita pelo grupo do youtuber:

Deixe uma resposta

1 × 4 =