O povo é sábio, lembra Ciro Gomes ao criticar danças partidárias à beira do abismo

Ciro Gomes comentou as últimas movimentações partidárias na busca por coligações, em entrevista que está sendo transmitida nesta quarta (01/08) ao programa Central da Eleições, no canal Globo News.

Ao comentar tais movimentações com o PSB, Ciro afirmou: “Desejo muito – veja que não falei ‘desejava’ – o apoio do PSB“. Para ele, assim como o PDT, o PSB está preocupado com a  degradação da esquerda e, tendo em vista que ele próprio ainda não recebeu comunicado oficial, Ciro afirmou estar aguardando resoluções e comunicados oficiais das lideranças com as quais mantém conversa.

Ao longo da tarde, parte da mídia noticiou um possível acordo entre PSB e PT, que teria como moeda de troca a retirada da candidatura de Marília Arraes (PSB) ao governo de Pernambuco. No entanto, a pré-candidata mantém até o momento a colocação pública de sua candidatura, em conflito com seu próprio partido. Conflito semelhante ocorre em Minas Gerais, com o pré-candidato Márcio Lacerda que teria recebido indicação do PSB para retirar sua pré-candidatura.

Quando perguntado pelos jornalistas entrevistadores sobre a ação do PT nessas movimentações partidárias, Ciro afirmou que a hostilidade do PT contra ele não se justifica, tendo em vista sua trajetória de apoio aos governos do partido por 16 anos. Afirmou ainda que, apesar de considerar injusta a sentença de condenação do ex-presidente Lula, no momento em que estamos “o PT está ensaiando uma valsa na beira do abismo“.

Ainda sobre o tema, Ciro comentou que, se hoje em dia trabalham juntos Temer, PSDB e mesmo o PT para tentar isolá-lo, é porque sua força e potencial de mudança para o Brasil de fato incomodam.
 

Deixe uma resposta

18 + 3 =