Ciro Gomes comenta conversas com o mercado: “Paz e amor, não. Eu sou da luta”.

Em resposta à jornalista Mariana Godoy durante entrevista na última sexta (29/06), Ciro Gomes explicou sobre os diálogos que tem feito com representantes do mercado financeiro. Mariana mencionou a abordagem que os encontros receberam no jornal Folha de S. Paulo, perguntando a Ciro se ele havia conversado numa abordagem “Cirinho paz e amor“.

A fala da entrevistadora faz alusão à expressão “Lulinha paz e amor“, que se refere à conduta do ex-presidente Lula nas conversas com representantes do mercado financeiro e é usada para sugerir que, à época, não houve o enfrentamento necessário por parte do governo brasileiro diante dos interesses do sistema financeiro que poderiam prejudicar o país.

Conforme Mariana Godoy terminava de pronunciar a expressão, Ciro Gomes iniciava sua resposta: “Não, não, não. ‘Paz e amor, não’. Eu sou da luta. Agora, eu não tenho inimigos que eu escolha. Então eu fui dizer ao mercado o seguinte: ‘eu não quero a simpatia de vocês. Eu vim pedir confiança‘” – disse Ciro antes de ser interrompido pela jornalista.

Em seguida, ao ser perguntado se seria “contra o mercado“, o pré-candidato respondeu: “Como que alguém pode ser contra o mercado? O mercado é uma essencialidade da vida humana“.

Embora seja crítico do sistema financeiro que especula e por vezes prejudica a economia do país, Ciro Gomes não se posiciona contra o mercado. Suas ideias debatidas em um novo Projeto Nacional de Desenvolvimento se dão no sentido de incentivar no país diversos setores produtivos, de modo que as condições de produzir no país voltem a ser rentáveis e, com isso, que o país não se torne refém do capital improdutivo ou especulativo.

 

Deixe uma resposta

nove − 5 =