“Bolsonaro está interpretando um personagem”, diz Ciro Gomes

Em sabatina promovida pelo jornal O Globo, pelo Valor Econômico e pela revista Época nesta quarta-feira (12/09), Ciro Gomes comentou sobre as ideias da candidatura de Jair Bolsonaro, ressaltando as limitações do candidato adversário à presidência e as incoerências com as ideias de Paulo Guedes.

Segundo a visão de Ciro, é possível dizer que Bolsonaro interpreta ressentimentos de classe numa espécie de fachada enquanto Paulo Guedes (seu assessor economista, que em tese responderia pelas propostas da candidatura) encarna o mais do mesmo em relação à economia, se assemelhando à visão de Henrique Meirelles, Alckmin e João Amoêdo. Nas palavras de Ciro:

Bolsonaro representa a destruição da nação brasileira, não estou exagerando aqui. Ele está interpretando um personagem. Ele próprio não acredita nas ideias do tal Posto Ipiranga [Paulo Guedes, economista assessor da candidatura]. Por exemplo, a proposta do Paulo Guedes de acabar com o subsídio, que ele considera uma distorção do capitalismo, destrói o agronegócio brasileiro em doze meses. E, ao destruir o agronegócio brasileiro em doze meses, expõe um déficit de transações correntes do Brasil com o estrangeiro em manufaturados que faria a taxa de câmbio navegar pra 10 reais por dólar. Isso produziria uma inflação de 40%, 50%, 60% pra começar. Vamos discutir, Paulo Guedes, se não é verdade o que eu estou dizendo? Isso é o que está em debate.

O candidato pedetista ainda reafirmou sua disposição em esclarecer para a sociedade brasileira os riscos representados pela candidatura de Bolsonaro. “Se o cidadão que está aí trabalhando de sol a sol, no Sul do Brasil, zangado com o MST com razão, zangado com corrupção com razão, acha que a solução é botar um sargentão, vá lá, mas eu vou lutar no limite das minhas energias pra proteger o Brasil desse desatino.”

Ao tratar especificamente de Bolsonaro, Ciro enfatizou que sua crítica é dirigida às ideias, ao dizer: “O Bolsonaro foi meu colega deputado. Eu não consigo atacar pessoalmente ninguém – até meus amigos querem que eu seja mais duro -, mas eu quero criticar as ideias.” Nesse momento, Ciro explicou também por que a conduta política do candidato pelo PSL é mencionada por ele como “protofascista”.

Protofascismo é um rótulo pra conduta política dele: um camarada que é misógino, que faz apologia do racismo, que faz apologia contra populações LGBTI, um camarada que acha que mulher pode e deve ganhar menos do que homem porque engravida, que isso? Como é o nome disso?

Na mesma entrevista, o papel das forças armadas também esteve entre os assuntos debatidos por Ciro Gomes.

Jair Bolsonaro tem ocupado o primeiro lugar em intenções de voto segundo pesquisas recentes, seguido por Ciro Gomes, que vem se consolidando como segundo candidato nas intenções de voto. No segundo turno, as simulações presentes nas pesquisas recentes feitas pelo Ibope e pelo Datafolha indicam que Ciro venceria Bolsonaro com uma diferença de cerca de dez pontos percentuais.

 

Deixe uma resposta

sete − três =