Ciro Gomes no Canal Rural: agricultura e projeto nacional de desenvolvimento

Esta semana, Ciro Gomes foi entrevistado pelo Canal Rural , que aborda questões relativas a um importante setor da riqueza nacional, a agricultura e o agronegócio. A série de entrevistas com os presidenciáveis se pauta em uma questão fundamental: qual é sua pauta prioritária quando o assunto é agronegócio?

Ciro sempre destaca o papel fundamental do agronegócio em seu projeto nacional de desenvolvimento. Como ele sempre lembra, o país tem uma das pujantes agriculturas do mundo e, dada suas condições de produção e escala, é a mais competitiva no âmbito internacional e, no entanto, importa a maior parte de seus insumos, aumentando o passivo externo do país em dólar e deixando de gerar empregos no Brasil.

Para enfrentar esse problema, Ciro propõe, como um dos eixos fundamentais de seu projeto, o investimento em um “complexo industrial do agronegócio”. Para tanto, como o presidenciável detalhou na entrevista, é preciso reparar os três grandes gargalos do setor:

1) Infraestrutura: para Ciro a precária infraestrutura de escoamento de produção do país gera o desperdício de muita força de trabalho, sobretudo com o padrão de logística rodoviário adotado no Brasil (70% da produção circula pelas rodovias). Para este problema, o candidato propõe o investimento pesado em ferrovias de carga e estuda o investimento anual de 5% do PIB (cerca de 300 bilhões por ano) para a manutenção e inovação infraestrutural no país. Além de, liderado por um Estado empoderado e guiado por um projeto, o recurso às parcerias com a iniciativa privada, utilizando PPP, concessões e investimento estrangeiro.

Ciência e tecnologia: este tema, tópico central para o projeto nacional de desenvolvimento em todas áreas elencadas como prioridade para Ciro Gomes (agroindústria, petróleo e gás, saúde e defesa) tem na agricultura um papel primordial, haja vista que o agricultor brasileiro está na mão de multinacionais que monopolizam o mercado brasileiro e vendem suas sementes e implementos agrícolas a preços exorbitantes. A saída é o desenvolvimento de um plano estratégico governamental que trace para os institutos de pesquisas nacionais e universidades metas para o setor de agro-engenharia e invista na área.

Financiamento e seguro: neste assunto, o agronegócio padece dos mesmos problemas estruturais do país, quais sejam, carga tributária alta e mal distribuída e baixa capacidade de investimento devido ao colapso das contas públicas e de outros mais específicos do setor como suas condições de seguro. Para Ciro, juntamente com o saneamento das contas, buscar condições de financiamento rebeldes as interdições do FMI, como Banco do BRICS; descartelizar o setor bancário brasileiro (que hoje pertence a cinco bancos) para agravar a competição entre eles e resultar em melhores condições de financiamento para os brasileiros; e criar um fundo de seguro, iniciado pelo Estado, para a agricultura.

Ciro Gomes lembrou também durante a entrevista que é preciso superar a falsa contradição entre quem produz e quem defende o meio-ambiente, apostando numa conciliação, mediada pela academia, para as melhores e mais sustentáveis práticas agrícolas para este setor que tem uma importância fundamental na balança comercial do Brasil e não pode ser simplesmente empurrado para a oposição.

Deixe uma resposta

quinze − catorze =