Ciro Gomes discute futuro, enquanto Alckmin só remete ao passado em debate

Em debate com os demais candidatos à presidência transmitido pela Rede TV (17/08), Ciro Gomes participou utilizando o tempo disponível para apresentar propostas sobre a previdência social, indústria, a agricultura e o investimento nos gastos públicos.

Durante os dois primeiros blocos, houve em 3 momentos debate direto entre Ciro Gomes e Alckmin.

  • Ciro perguntou a Alckmin qual sua concepção de país e se o tucano revogaria ou manteria a PEC do teto de gastos.

Alckmin, olhando o passado, despejou a culpa da medida no governo anterior, disse que foi a PEC do teto foi uma “vacina contra o PT” e deu razão à medida que congela os investimentos nas próximas duas décadas. Citou ainda que é preciso reduzir o tamanho do Estado. O candidato, que foi governador paulista, preside o PSDB, partido da base aliada do governo Temer.

A posição de Ciro é oposta a de Alckmin. Ciro foi ex ministro, ajudou a criar o plano real, e em sua carreira política também considera importante controlar os gastos e as dívidas públicas, mas sempre a serviço do povo e do país e não como um fim em si mesmo. Para Ciro, a PEC do teto de gastos é uma lei imoral e anti-popular, que coloca como lei o que deveria ser decisão dos governos. Ele exigirá a revogação da medida por conta de vários argumentos. O primeiro argumento é que o teto é impraticável.

  • Num segundo momento, Alckmin perguntou a Ciro sobre agricultura.

Candidato pelo PDT, Ciro mencionou brevemente que a área é um dos temas tratados no Projeto Nacional de Desenvolvimento elaborado por ele. Disse também que hoje em dia a agricultura e o agronegócio brasileiros dependem de fertilizantes, defensivos e maquinários estrangeiros e importados, mas tal cenário pode ser diferente. A proposta de Ciro é construir condições de desenvolvimento que agreguem valor à produção agrícola no país, verticalizando essa produção.

Já Alckmin, no lugar de propor, mencionou como caminho para a agricultura a “simplificação de impostos e infraestrutura“, ignorando as características, os problemas e as necessidade do agronegócio brasileiro e repetindo fórmulas de debates passados.

Na rodada de perguntas feitas pelos jornalistas, Reinaldo Azevedo selecionou Ciro e Alckmin para o debate direto sobre política industrial.

Ciro aproveitou o tema para comentar que os desarranjos da estrutura tributária brasileira (que em muito dificultam uma política industrial adequada) devem muito ao PSDB, já que o senador José Serra (PSDB de SP) foi um grande responsável pelos debates tributários e pelas legislações sobre o tema. Para Ciro, o Brasil precisa parar de destruir suas indústrias, por exemplo, realinhando o câmbio, ajustando suas condições de financiamento.

Alckmin, no entanto, usou seu tempo de comentário para tratar de outras questões de seu programa de governo e, com isso, deixou de oferecer propostas sobre a política industrial.

 

Deixe uma resposta

10 − três =