É verdade que Ciro Gomes quer acabar com o Uber?

Não, não é verdade. Ciro Gomes apenas mencionou que concordava com a regulamentação feita pelo município de Fortaleza onde delimitou-se, para não onerar mais os motoristas, que a própria empresa pagaria um tributo pelos serviços operados na cidade.

Entenda o contexto que gerou a notícia falsa:

Essa notícia começou a circular cerca de um mês antes do primeiro turno das eleições e dias depois de pesquisas de intenção de voto indicarem Ciro Gomes em segundo lugar.

Em uma entrevista, Ciro mencionou o exemplo ocorrido em Fortaleza. No município, para não onerar mais em impostos os trabalhadores que são motoristas pelo aplicativo, a prefeitura estabeleceu uma cobrança feita à empresa em 2%, como uma taxa de outorga pelo uso das viagens.

A partir disso, foi disseminado em notícias de páginas na internet e pelo whatsapp que ele, enquanto candidato, pretendia “acabar com o Uber” ou que era “contra o Uber”.

Qual é, então, o posicionamento de Ciro sobre o Uber?

Recentemente, Ciro teve a oportunidade de explicitar sua opinião sobre o Uber e sua resposta foi que não concorda em absoluto com taxar os motoristas do aplicativo –  ou os motoristas de outras empresas de serviço de transporte particular por aplicativo.

Além disso a resposta deixa ver que Ciro não pretende de modo algum acabar com os aplicativos, mesmo porque reconhece que milhões de pessoas puderam encontrar nesse serviço uma oportunidade de trabalho. Nas palavras dele: “são 33 milhões de pessoas que estão tendo que se virar na informalidade. Então, eu seria a última pessoa que iria tirar a oportunidade o último refúgio do cidadão que, não tendo emprego, tá se virando pra sustentar sua família.”

No mesmo contexto, Ciro citou a forma de regulamentar realizada em Fortaleza:

“O motorista do Uber, ele já paga 25% pra uma multinacional que pega todo o dinheiro daqui e remete pro estrangeiro. Portanto, se você puder, meu irmão, troque pelo menos por um aplicativo brasileiro que o dinheiro fique por aqui, mas vamos lá. O que que nós fizemos? Nós forçamos a mão pra cobrar do Uber, e não do motorista, 2% do faturamento. Nada do motorista. E esses 2% são suficientes pra equilibrar a competição com os táxis que pagam imposto, e conseguimos uma relativa harmonia, acabou a briga, a brigalhada lá. Eu fui explicar isso pra alguém que me gravou falando e daí virou uma intriga etc.”

Qual era o objetivo em espalhar essa notícia falsa?

Essa foi uma notícia falsa espalhada poucas semanas antes das eleições. Disseminar essa informação tem o objetivo de prejudicar a candidatura de Ciro Gomes, principalmente perante o grande número de pessoas que hoje são motoristas presentes no Uber ou em outros aplicativos.

O próprio Ciro dá a pista de como podemos agir quando virmos uma notícia falsa nesse período eleitoral: conferir se a informação consta ou não em seu site oficial www.cirogomes.com.br 

Confira abaixo o vídeo em que Ciro explicita seu posicionamento e esclarece a notícia falsa em questão:


 
 

Deixe uma resposta

17 + 14 =